Como está o seu planejamento para a próxima reforma escolar?

segunda-feira, 30 de janeiro de 2017

 

"Planeje com antecedência: não estava chovendo quando Noé construiu a arca." Richard C. Cushing(1885-1970)

Até o carnaval é planejado. Digo até o carnaval porque é algo que categorizamos como feito espontaneamente, por prazer, pela maioria dos participantes, e não como um trabalho ao pé da letra.

A escola que pretende reformar em julho, precisa começar em fevereiro ou até antes.

Como começar antes?

1.Decidindo quais itens serão reformados, quais serão priorizados.

Toda escola por mais bem construída que seja, sempre tem algo a melhorar. Às vezes, o administrador pode ficar perdido diante de tantas necessidades.

Neste momento, é importante ouvir seus principais clientes: os pais e os próprios alunos. Os colaboradores também podem lhe dar ótimas contribuições.

Dentre as solicitações feitas é importante avaliar aquelas que vão impactar consideravelmente na atração de novos alunos e a que mais refletem a filosofia da escola como diferencial.

 

2.Conforme o nível de intervenção, contrate o arquiteto(a) que irá trabalhar com você o planejamento desta reforma, não apenas em nível de projeto, mas também, mostrando a planilha de custos.

Com a planilha em mãos, você pode avaliar o que precisa ser alterado, em função da viabilidade financeira.

APÓS PROJETO E PLANILHA, converse com o arquiteto comunique sua análise, ouça sua consideração, e então siga em frente, ajustando o projeto se preciso for. Assim, o resultado do documento que for para a obra, será quase 100 % real do que vai ser executado.

 Contratos Casamento

Para montar planilhas de custo, dependendo do nível de intervenção, pode ser que precise de projetos complementares, tais como: elétrico, telefônico, estrutural, rede estruturada, som ambiente, ar condicionado, hidráulico, paisagismo e outros. Seu arquiteto poderá direcioná-lo nisto.

Nem todas as reformas precisam de Projetos Complementares, mas se a sua reforma requer esta informação não descarte como sendo um luxo a mais. Lembre-se o projeto bem feito, é um documento que será de grande auxílio na contratação da construtora e terceirização da obra. Ele evitará equívocos e padronizará os orçamentos dos concorrentes, ajudará na prevenção de todos os possíveis desafios da obra com antecedência.

Certa vez, participamos de uma reforma para laboratórios de uma faculdade, onde pelo pouco tempo disponível, contratou-se a construtora com a cláusula de que o projeto elétrico seria disponibilizado durante a obra. A construtora no seu orçamento imaginou um estilo de infraestrutura onde a fiação chegaria em um único quadro elétrico. Quando o engenheiro eletricista foi detalhar o projeto, chegou à conclusão que a melhor solução era locar um quadro em cada laboratório, todos interligados a um quadro geral. Quantas discussões este assunto gerou!

O novo projeto impactou no custo, que para não ser alterado, solucionou-se trocando os pisos táteis de inox para emborrachados, e, assim, viabilizando a manutenção do orçamento. Este desgaste poderia ter sido evitado, se o projeto estivesse pronto antes do início da obra. Não acha?

Nós brasileiros, temos a tendência de desvalorizar a importância de um projeto. Acho que se pudéssemos sentir o quanto é mais tranquila uma obra com todos projetos prontos, nunca mais vamos querer de outra forma.

 

3.Faça os orçamentos com as possíveis construtoras selecionadas para a obra ou com os fornecedores que executarão os serviços.

Ao orçar é importante definir o perfil do fornecedor para o serviço e fazê-lo com os de mesmo perfil, pois senão, as vezes encontrará orçamentos de preços muito diferentes devido a disparidade dos fornecedores.

Possíveis critérios para seleção de fornecedores:

1)     Custos: a produção a custos menores demonstra maior competitividade;

2)     Qualidade: capacidade técnica para produzir, fornecer e desenvolver;

3)     Flexibilidade: adaptação as operações com rapidez;

4)     Prazo (velocidade): fazer rápido, tanto da realização de atividades quanto ao relacionado à percepção do cliente;

5)     Prazo (confiabilidade de entrega): fazer pontualmente;

6)     Confiabilidade: solidez financeira e o seu capital reputacional;

7)     Serviço pós-venda: bom atendimento para manutenção e disponibilidade de peças de reposição;

8)     Conformidade legal: cumpre todas as leis, normas e resoluções do setor onde atua;

9)     Responsabilidade social: bem-estar dos trabalhadores, boas práticas sociais;

10)   Responsabilidade ambiental: controle de impactos ambientais negativos de sua atividade.

Neste momento, você deve estar se perguntando, quanto tempo já se passou? Se você seguiu os 3 passos provavelmente já deve estar em meados de janeiro. Para não se perder no tempo, monte o cronograma de reforma e procure segui-lo.

OLHA QUE LEGAL! Preparamos um infográfico do planejamento da reforma de dezembro/janeiro. Nele você terá uma ideia de como montar um cronograma para reformar. Clique no botão abaixo para baixá-lo gratuitamente.

Imagem4

 

GOSTARIA DE SABER MAIS SOBRE O ASSUNTO OU  DESEJA INICIAR UM PROJETO? NÃO PERCA TEMPO, ENTRE EM CONTATO CONOSCO. NOSSA EQUIPE ESTÁ PREPARADA PARA AUXILIÁ-LO. CLIQUE NO BOTÃO ABAIXO!

Imagem5


Poste seu comentario